História da EVC

Eu, Carlos C. Mello sempre de nick “CraB” após um longo período (desde 2004) nos simuladores F-16 Agressor, F-16 Multi Roller e Falcons 4.0, AF, OF e Free Falcon, passando por esquadrões como EAP (Esq. Águia de Prata),  BF (Black Falcons),  FN (Falcões da Noite)  e por final  FB (Falcon Brasil), acabei localizando na internet um dos antigos parceiros de voo online, Gustavo S. de Cerqueira de Nick “Bulldog”, foi quando resolvemos fundar um canal para tentar resgatar os antigos companheiros de simulação militar baseado no F-16.  Nos baseamos na Fênix, conhecida como “renascida das cinzas” e lançamos em 01 de fevereiro de 2014  o EVCFX (Esquadrão Virtual de Caças FENIX), primeiramente com Facebook e mais tarde com site.

Montamos nosso TS (TeamSpeak) e começamos a voar via multiplayer do Falcon 4.32 para reaprender e conhecer as novas funcionalidades da versão 4.32.

Ainda em fevereiro de 2014 foi localizado o Leo Silva de nick “Stell” e o nosso último piloto que participou desta fundação, Julio Cardoso de nick “JC”.

De lá pra cá já passamos por várias fases com diversos pilotos jurássicos e novatos voando online com o FX.

Nossa ideia inicial foi fugir dos padrões antigos de “esquadrões com regime militar”, então optamos por usar a palavra “COMUNIDADE FêniX”, onde novos pilotos são iniciados e veteranos reciclados para adquirirem os conhecimentos básicos, portanto sem cobranças de procedimentos oficiais, tornando-se assim um local para voos de Aprendizado e Lazer.

Em junho de 2016, surgiu um dos antigos pilotos, Charles Alfineto de nick “Tiger” que propôs a ideia de repaginarmos nosso site e acrescentar o numeral “29º” antes do E.V.C Fênix, com a intenção de criar vôos oficiais com fonia- fraseologia militar, academia com instruções de simulação do zero até os últimos itens para que os integrantes que se alistassem no esquadrão 29º para que se transformassem em dominantes e exímios pilotos do Falcon BMS 4.33.

Portanto, o FX  dividiu-se em “COMUNIDADE”  e “29º”, mas o projeto do 29º ainda encontra-se no papel (e encontrar-se-á para todo o sempre), por falta de tempo dos simuleiros em participar da academia e tempo escasso para os aprendizados em vôos on line.